Notícias

Terminação Intensiva a Pasto (TIP) oferece bons resultados com menos custos ao pecuarista

29/05/2019

Pesquisas promovidas com tecnologias da Connan mostram ganho de peso e carcaça em pastagens secas

Com o fim do período das águas há uma queda natural no potencial produtivo das pastagens, o que dificulta a engorda dos animais. O início das secas traz um desafio ainda maior ao pecuarista, que se encontra em um momento crucial no processo produtivo, a terminação.

Na prática, esse é o período que antecede ao abate e também uma das fases mais importantes na cadeia produtiva, já que é a etapa que determina a qualidade e o peso da carcaça. Neste período o animal deve atingir um peso ideal, depositando um percentual mínimo de gordura para uma boa comercialização com o frigorífico.

Normalmente é neste período que estão as melhores oportunidades de remuneração da arroba, pois há maior déficit de abate. Diante desse cenário, é comum surgir a dúvida de qual a melhor estratégica nutricional para a terminação no período seco.

“A técnica mais utilizada e entendida como segura para acabamento dos animais neste momento é a terminação em confinamento tradicional. Contudo, o custo estrutural do sistema é alto e arriscado. Além disso, sem uma demanda constante de animais, a estrutura fica ociosa durante uma parte do ano, gerando alto desembolso operacional”, explica o gerente técnico e de Marketing da Connan, Marcio Bonin.

Como alternativa, o produtor pode aplicar em sua propriedade a Terminação Intensiva a Pasto, ou TIP, como é conhecida. “Essa é uma técnica que também oferece segurança ao pecuarista, bem como representa baixo investimento estrutural. Utilizando de tecnologias complementares na nutrição, a TIP oferece ótimos resultados no campo e lucratividade ao criador”, destaca Bonin.

Segundo o gerente, em uma estrutura de confinamento, no estado de São Paulo, por exemplo, o custo de produção pode chegar a R$ 11 a diária, enquanto na TIP o valor se aproxima de R$ 7,60 por dia. “O custo da estrutura e mão de obra são fatores que impactam diretamente no valor de produção do sistema de confinamento, enquanto na terminação intensiva a pasto o produtor utiliza da estrutura da fazenda e investe apenas em ração e complementos suplementares, que ajudarão no processo de engorda do animal”, ressalta.

Resultados positivos

Para comprovar os resultados dessa técnica a Connan, uma das principais indústrias de nutrição animal do Brasil, em parceria com a Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta) e a Embrapa Gado de Corte, promoveu estudos que comprovaram os bons resultados da técnica no campo.

“Desde 2012, estamos promovendo pesquisas junto às duas entidades para comprovar a eficiência na utilização de tecnologias aliadas à terminação a pasto. Ao final dos experimentos constatamos que os resultados se mostraram muito conscientes, que se repetem na prática”, destaca Bonin.

As pesquisas foram promovidas com o uso da tecnologia Nuclemix Connan Termina-Fácil, um núcleo completo com minerais e proteínas, além de uma combinação de aditivos que devem ser misturados com farelos energéticos. Os resultados mostraram que os animais ganharam mais peso e mais carcaça, apresentando rendimento de ganho em torno de 75%, ou seja, de cada kg de peso vivo ganho pelos animais, 750 g foi em carcaça.

“O tratamento dos animais com Nuclemix Connan Termina-Fácil permite a deposição de gordura de acabamento e aumento do ganho em carcaça em qualquer época do ano, sem a necessidade de fechar os animais em confinamento, oferecendo economia com uma tecnologia acessível aos pecuaristas”, finaliza Bonin.