Notícias

Planejamento e gestão são essenciais para garantir o lucro na pecuária

29/05/2020

Produzir mais e melhor, em menor tempo e com maior lucratividade. Esses são os principais desafios da pecuária brasileira nos últimos anos, que ganham ainda mais peso no momento, devido a pandemia da Covid-19, que acaba por impactar a economia de uma maneira geral.

As incertezas do mercado exigem do pecuarista um planejamento mais assertivo, com definição de metas e do caminho a ser percorrido para alcançá-la. “Hoje, mais do que nunca, o criador precisa ter um foco no seu negócio para que tenha bons resultados, tanto em relação a eficiência produtiva quanto na lucratividade da propriedade”, destaca o médico-veterinário e gerente de Tecnologia e Marketing da Connan, Marcio Bonin.

Para Bonin, o segredo está na organização. Segundo ele, é necessário que o pecuarista defina alguns pontos do sistema produtivo que pretende seguir e, a partir deles, entender os passos que precisam ser seguidos para atingir o objetivo estabelecido.

Com a definição do protocolo produtivo que será implantado é hora de fazer contas. “Nesta etapa, o produtor deve colocar no papel quantos animais sua propriedade comporta, definir a data de validade de cada lote do rebanho e, com isso, fazer o cálculo das necessidades de insumos, detalhando a quantidade de suplemento e ração que deverá comprar para o gado. E com essas informações, listar os produtos adequados para que consiga chegar no tempo e no peso esperado”, detalha Bonin.

Com esses dados em mãos, o criador passa a ter mais tempo para se dedicar as negociações com seus fornecedores, fator de extrema importância, pois é neste ponto que o lucro da propriedade começa a ser desenhado. Com os custos da produção conhecidos, o produtor consegue saber o quanto de lucro terá e assim saber o momento de realizar as vendas, bem como as compras de reposição.

“A fazenda é um negócio e sobrevive de lucro. Para tanto, precisa de gestão e planejamento para alcançar esse objetivo. Com a definição do protocolo é mais fácil de conhecer os custos de produção e assim, quanto poderá lucrar. Com menos preocupações quanto a tomada de decisão de ordem produtiva, o pecuarista passa a ter mais tempo e tranquilidade para se dedicar as transações de compra e venda”, enfatiza.

Cálculo nutricional x lucro

A nutrição é, sem dúvida, o maior boleto da pecuária, representando mais de 70% do desembolsos da propriedade, fator que faz do manejo desses insumos um ponto de atenção para os criadores.

Segundo Bonin, com o sistema definido é mais fácil traçar a meta de consumo de alimentos do rebanho, como por exemplo, a quantidade de milho que será necessária para o período, e assim se organizar para a compra. “No caso de insumos agrícolas, tendo essas informações em mãos, é mais fácil buscar fornecedores e realizar uma compra no melhor momento ou então antecipada por contrato, antes da safra, quando os valores são melhores e mais vantajosos”, destaca.

Outro ponto importante é a preparação do pasto para receber os animais. Com o planejamento antecipado também é possível prever a quantidade de área que será necessária e preparar a fazenda, principalmente na fase da seca, quando os pastos estão mais secos e oferecem menos nutrientes ao gado.

Por fim, a suplementação do rebanho também se torna mais eficiente, pois com a definição da meta de peso e tempo, é mais fácil saber qual produto comprar, bem como saber a quantidade que será consumida pelos animais. “Evita-se o desperdício de produto, com uma compra mais assertiva e direcionada. Sem dúvidas, com um planejamento e a gestão mais consciente da fazenda o pecuarista alcançará suas metas e o lucro”, ressalta.

A Connan, por meio de sua equipe de campo, busca ajudar seus clientes neste processo. “Nosso time possui ferramentas e estratégias que buscam auxiliar o pecuarista neste momento de definição de metas para a propriedade, além de buscar entender as necessidades do rebanho e oferecer os melhores produtos para garantir a eficiência produtiva dos animais. O sucesso de nossos parceiros é o nosso propósito!”, finaliza Bonin.